Paleontólogos descobrem fósseis de animais marinhos de 160 milhões de anos no meio do deserto do Atacama


Uma das espécies é o Vinialesaurus, réptil marinho de cerca de quatro metros, que até então só havia sido encontrado uma vez, no Caribe. Montagem mostra fóssil descoberto pelos paleontólogos no deserto do Atacama e um desenho de como seria o Vinialesaurus encontrado
Reprodução/Facebook/Registro fósil y evolución de vertebrados – Chile
Cientistas da Universidade do Chile divulgaram nesta terça-feira (18) a descoberta de fósseis de duas espécies de Plesiossauro no deserto do Atacama. Trata-se de um réptil marinho que teria vivido na região no período Jurássico, cerca de 160 milhões de anos atrás, quando o deserto estava submerso no mar.
Uma das espécies é o Vinialesaurus, réptil marinho de cerca de quatro metros, que até então só havia sido encontrado uma vez, no Caribe. A outra é o Muraenosaurus, de aproximadamente seis metros, cujo novo fóssil é o segundo e mais completo já obtido na América do Sul, segundo pesquisadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Chile e do Museu de História Natural e Cultural da Deserto do Atacama.
Fóssil de lagarto mais antigo da América do Sul é descoberto em João Pinheiro
Câncer é descoberto pela 1ª vez com análise em fóssil de dinossauro
Esses Plesiossauros, predadores marinhos, são caracterizados por crânios de cerca de 30 cm, com vértebras cervicais um tanto cilíndricas, corpos robustos e nadadeiras de comprimento médio. Até o momento, não existia registro de seu habitat no deserto do Atacama, o mais seco do mundo, localizado no norte chileno, de acordo com o comunicado da universidade.
“É interessante que no jurássico chileno tenham surgido répteis marinhos que eram conhecidos na Europa alguns milhões de anos antes (como é o caso do Muraenosaurus), e também formas contemporâneas só conhecidas em Cuba”, explica Rodrigo Otero, pesquisador da Rede Paleontológica da Universidade do Chile.
Montagem mostra fóssil descoberto pelos paleontólogos no deserto do Atacama e um desenho de como seria o Vinialesaurus encontrado
Reprodução/Facebook/Registro fósil y evolución de vertebrados – Chile
As escavações começaram em 2018 e a descoberta dos fósseis ocorreu cerca de 20 km a oeste da cidade de Calama. Os cientistas encontraram o esqueleto, coluna vertebral, fragmentos de crânio, dentes, pescoço e nadadeiras de dois Muraenosaurus e uma mandíbula de Vinialesaurus.
A data dos fósseis corresponde ao Oxfordiano, era geológica do Período Jurássico que vai de 163 a 157 milhões de anos atrás, segundo o estudo publicado no “Journal of Vertebrate Paleontology”.
Os pesquisadores apontam que os restos mortais foram encontrados no deserto porque a área ficava submersa 160 milhões de anos atrás. Eles também acharam vertebrados marinhos, incluindo restos de crânios de ictiossauros, crocodilos marinhos e pliossauros, assim como uma variedade de peixes.