‘Prejuízo inegável, mas necessário’, diz secretário sobre suspensão de aulas em SP

As escolas de São Paulo terão suas aulas suspensas a partir da próxima segunda-feira (23). Em entrevista ao Jornal da Manhã, o secretário municipal de educação de São Paulo, Bruno Caetano, afirmou que o prejuízo da decisão para a educação é inegável, mas necessário para enfrentar os efeitos do coronavírus no Brasil.

Segundo ele, todas as escolas da rede pública municipal e estadual funcionarão normalmente até sexta-feira (20). A proposta é que, durante este período, os pais e responsável consigam se organizar para o período de suspensão das aulas e evitem deixar os filhos com os avós.

“A recomendação é que as famílias que possuem condições não mandem os filhos (para as aulas), mantendo-os afastado dos idosos também. Ninguém vai tomar falta, ou terão provas que possam prejudicar desempenho acadêmico.”

Além de suspender as aulas, a secretaria também trabalha com a conscientização das crianças. De acordo com Caetano, os colégios receberão nesta terça-feira (17) o “dia D” para o combate ao coronavírus.

A medida visa, por meio de atividades lúdicas, conscientizar os estudantes para que consigam compreender a situação e levar as informações para as famílias.

Medidas

A respeito da possibilidade de atividades a distância, o secretário de educação afirmou que é uma opção para alunos mais velhos, mas que para as crianças é inviável, já que no ensino infantil as atividades estão direcionadas para o desenvolvimento pessoal dos alunos.

A recomendação aos professores, durante esta semana de aulas, é que repassem as boas práticas de saúde para as crianças e tomem os cuidados necessários. Em caso de possíveis alunos infectados pelo coronavírus, os profissionais devem procurar as famílias imediatamente.

As secretarias de saúde e educação estudam ainda nesta semana possíveis ações para manter a alimentação dos alunos durante o período de suspensão das aulas. Segundo Bruno Caetano, os responsáveis não consideram abrir as escolas na hora do almoço como uma opção possível.

“Entendemos que não é a mais adequada, porque faz com que as crianças precisem se deslocar até as escolas, o que queremos evitar. Mas as secretarias estudam opções.”

Além do fechamento das escolas, a cidade de São Paulo também adotou medida para que servidores com mais de 60 anos não trabalhem nos próximos dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui