Pico da Covid-19 na Itália ainda está para acontecer, diz primeiro-ministro

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, alertou nesta segunda-feira (16) que o país aguarda por “semanas decisivas” para ver a evolução do novo coronavírus e que o pico da epidemia no país ainda está por vir.

“Não podemos baixar a guarda, é o desafio mais importante, precisamos dos 60 milhões de italianos para vencer”, afirmou Conte, em entrevista publicada hoje pelo jornal “Corriere della Sera”.

“Está na hora de sacrifícios, de eleições responsáveis. Desde o início, tenho trabalhado em espírito de unidade, colocando a saúde no centro”, acrescentou, antes de pedir que as controvérsias sejam anuladas.

A Itália proibiu todas as viagens entre e dentro das cidades, fechou o comércio e reduziu a mobilidade o máximo possível para tentar conter o aumento incontrolável de infecções. O país já tem 25 mil infecções e mais de 1,8 mil mortes pela Covid-19, de acordo com os dados mais recentes.

De acordo os últimos dados do Instituto Spallanzani de Doenças Infecciosas em Roma, três em cada 10 mortes diagnosticadas com a Covid-19 ocorreram na Itália.

As 1.809 pessoas que morreram na Itália até o domingo (15), representam 29,5% das mais de 6,1 mil registradas no mundo.

Nas últimas 24 horas, de acordo com o último boletim da Defesa Civil, mais 368 pessoas morreram, a grande maioria na Lombardia, a região mais afetada.

*Com informações da EFE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui