Médico da FPF só cogita volta do Paulistão após desaceleração do coronavírus

A Federação Paulista de Futebol (FPF) decidiu na manhã desta segunda-feira, após reunião com os clubes, paralisar o Campeonato Paulista. A medida, que foi tomada para conter a velocidade de contaminação por coronavírus, certamente bagunçará o calendário do futebol brasileiro em 2020. E, pelo menos por enquanto, não tem previsão para acabar.

Em entrevista exclusiva ao Esporte em Discussão desta segunda-feira, o diretor médico da Federação Paulista de Futebol, Moisés Cohen, revelou que só será possível pensar na retomada do torneio estadual quando houver uma desaceleração dos casos de coronavírus em São Paulo.

“Essa previsão não é estática, ela é dinâmica… O Ministério da Saúde terá gráficos da velocidade de contaminação por coronavírus no Brasil. Quando essa curva atingir o pico e começar a baixar, aí é o momento de começarmos a planejar com um pouco mais de eficiência e segurança as voltas dos campeonatos”, explicou. “Nesse momento, é tudo muito embasado em situações hipotéticas. Temos de esperar e observar como será o comportamento desse vírus no Brasil”, acrescentou.

Cohen, no entanto, defendeu a decisão tomada pela FPF em conjunto com os clubes. “Esse tema é bastante polêmico, mas a gente tem de se basear em parâmetros. E os parâmetros que a federação tem utilizado são única e exclusivamente pautados nos dados do Ministério da Saúde, que é quem detém as informações e projeções a respeito do coronavírus. Essa decisão, tomada pela federação em conjunto com os clubes, foi inteligente”, definiu.

“Enquanto você consegue rastrear a origem das contaminações, é mais tranquilo. Mas, agora, a contaminação em São Paulo já é comunitária, ou seja, você já não consegue mais saber de onde veio. E é por isso que estamos tomando os devidos cuidados”, finalizou.

O Campeonato Paulista será paralisado após o clássico entre Guarani e Ponte Preta, nesta segunda-feira, em Campinas. O jogo, que será realizado com portões fechados, encerrará a 110ª rodada da competição estadual – depois dela, restarão mais duas rodadas até o fim da primeira fase.

Confira, abaixo, a íntegra da entrevista exclusiva de Moisés Cohen:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui