Maioria das aéreas corre risco de recuperação judicial, avalia consultoria

(Bloomberg) — Na avaliação de uma consultoria do setor de aviação, a pandemia de coronavírus levará a maioria das companhias aéreas globais à recuperação judicial até o fim de maio, a menos que governos e indústria tomem medidas coordenadas para evitar tal situação.

Muitas companhias aéreas já devem estar em situação técnica de recuperação judicial ou violado acordos de dívida significativamente, segundo a consultoria CAPA Center for Aviation, de Sydney, em comunicado divulgado na segunda-feira.

As companhias aéreas esgotam rapidamente as reservas de caixa porque os aviões estão aterrados, e os que não estão voam com metade da capacidade, afirmou o comunicado.

“São necessárias medidas coordenadas do governo e da indústria, agora, para evitar uma catástrofe”, afirmou a CAPA. Caso contrário, “emergir da crise será como entrar em um campo de batalha brutal, repleto de vítimas”, afirmou.

A maioria das companhias aéreas dos EUA, China e Oriente Médio deve sobreviver por causa do apoio do governo aos controladores, disse a CAPA.

As companhias aéreas estão entre as maiores vítimas corporativas do surto. Empresas como American Airlines e a australiana Qantas Airways reduziram a capacidade, enquanto algumas como a sueca SAS fizeram demissões temporárias. Flybe, a maior companhia aérea regional da Europa, já entrou em colapso.

As operadoras poderiam perder até US$ 113 bilhões em receita este ano, de acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo.

Aproveite as oportunidades para fazer seu dinheiro render mais: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!

The post Maioria das aéreas corre risco de recuperação judicial, avalia consultoria appeared first on InfoMoney.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui