Jorge Jesus pede paralisação do Campeonato Carioca por surto do coronavírus

A vitória do Flamengo por 2 x 1 sobre a Portuguesa-RJ por 2 a 1, neste sábado (14), foi assunto secundário para o técnico Jorge Jesus. Em entrevista à TV oficial do clube, o português pediu a paralisação dos jogos do Campeonato Carioca e revelou preocupação com o risco de contaminação pelo novo coronavírus, o Covid-19.

A equipe cancelou a coletiva de imprensa com o treinador por causa da pandemia. Para Jorge Jesus, a situação é “não é brincadeira” e, por isso, devemos pensar que a proliferação da doença não está acontecendo apenas nos outros países.

“Este vírus é uma preocupação que a gente pode ter, conosco, com as nossas famílias. Está sendo um problema grande. Eu sou português, sei muito bem o que está a passar em Portugal. Perdi um amigo por conta disso. Isso (jogos) vai ter que parar”, comentou o treinador que segurou o choro ao citar a perda do amigo.

Nesta segunda-feira (16), a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) fará uma reunião para discutir uma possível paralisação do Campeonato Carioca. A Copa Libertadores, outro torneio do calendário flamenguista, foi adiada.

Flamengo em risco

O treinador seguiu insistindo que não vê sentido em continuar jogando em meio ao aumento do número de casos, principalmente porque os jogadores tiveram contato com um dos infectados.

Maurício Gomes de Mattos, vice-presidente do clube de consulados e embaixadas, viajou com a delegação para Barranquilla, na Colômbia, onde o Flamengo venceu o Junior Barranquilla por 2 x 1, no dia 4 de março. Ele esteve no mesmo voo da delegação e jantou com jogadores.

“Penso que não pode haver jogos. Temos que entender que os jogadores não são super-homens. O Flamengo está no risco, tivemos contato com uma pessoa, não sabemos o que pode acontecer. Espero que este tenha sido o último jogo nessa situação”, acrescentou.

Na visão de Jorge Jesus, os problemas internos e até a falta de torcida do Maracanã acabaram como principais responsáveis pela partida ruim do Flamengo.

“O time entrou desfocado, mas não só o fato por não ter a torcida, por alguns problemas que parecem que não tem importância, mas estamos muito preocupados porque não sabemos o que temos.”, encerrou.

*Com informações do Estadão Conteúdo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui