Futuros dos EUA caem cerca de 4% apesar da decisão surpresa do Fed de cortar juros pelo coronavírus

SÃO PAULO – Os futuros dos EUA registram um movimento de queda na noite deste domingo (15), mesmo após as novas medidas emergenciais (e surpresa) do Federal Reserve de cortar juros, em uma reação conjunta com outros bancos centrais pelo mundo.

O S&P 500 Futuro tinha queda de 4,29%, a 2.568 pontos, o Dow Jones Futuro tinha baixa de 3,38%, a 22.066 pontos, enquanto o Nasdaq Futuro caía 3,77%, a 7.603, às 19h18 (horário de Brasília).

Em um movimento emergencial ao que chamou de resposta aos danos causados pelo avanço do novo coronavírus e seus impactos econômicos, o Federal Reserve anunciou, neste domingo, um corte de 1 ponto percentual em suas taxas de juros de referência norte-americanos, para o intervalo de 0% a 0,25%.

Este é o segundo corte nos juros do país em menos de duas semanas, quando os mercados começaram a reagir com maior preocupação à Covid-19. No início de março, o Fed já havia reduzido as taxas em 0,5 ponto percentual, para a faixa de 1% a 1,25%.

“Essa medida, juntamente com um importante pacote fiscal, deve ajudar a atenuar o impacto econômico do vírus nos EUA, disse Quincy Krosby, estrategista-chefe de mercado da Prudential Financial, à CNBC. “Será positivo, mas o mercado segue à mercê do vírus e se as políticas de contenção funcionam”, afirmou.

A autoridade monetária também aprovou um programa de estímulos (Quantitative Easing) de US$ 700 bilhões como proteção para a maior economia do mundo contra a pandemia da doença.

O Fed também destacou que agiu de forma coordenada com os bancos centrais do Canadá, Reino Unido, Japão, Suíça e Banco Central Europeu (BCE). O Fed promete usar “todos os instrumentos” para apoiar a economia americana e fluxo de crédito.

Aproveite as oportunidades para fazer seu dinheiro render mais: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!

The post Futuros dos EUA caem cerca de 4% apesar da decisão surpresa do Fed de cortar juros pelo coronavírus appeared first on InfoMoney.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui