Medo de tocar notas de dólar abre nova frente em batalha digital

(Bloomberg) – Os avisos começaram a aparecer em Seattle em vitrines da Dick’s Drive-In, a icônica rede de hambúrgueres da cidade: “Com muita cautela, pedimos pagamentos com cartão de crédito ou débito, se possível, em vez de dinheiro”.

O medo de tocar notas de dólares agora é palpável no epicentro do coronavírus nos Estados Unidos.

E em todo o setor financeiro, surge o debate sobre como lidar com a crescente preocupação do público de que os dólares possam transmitir a Covid-19.

Estudos mostram que é pelo menos teoricamente possível para outros coronavírus sobreviverem no tecido de algodão e linho das notas de dólar, embora haja pouco consenso sobre o risco real de contágio.

Nos bastidores, alguns setores da indústria e bancos pediram ao Federal Reserve e ao Departamento do Tesouro que emitissem uma declaração assegurando aos americanos que o risco de usar dinheiro é mínimo, de acordo com pessoas com conhecimento das discussões.

O Fed, por sua vez, diz que aguarda recomendações dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, que até agora disseram que o vírus se espalha principalmente por meio do contato de pessoa para pessoa.

Enquanto isso, o Fed tem colocado notas repatriadas da Ásia em quarentena por até 10 dias para garantir a segurança.

Há muito em jogo para bancos e empresas que lidam com pagamentos eletrônicos: bilhões de dólares em lucros dependem de qualquer declaração ou política estabelecida por autoridades.

Por um lado, bancos de pequeno e médio porte trabalham para manter as agências abertas e continuar servindo legiões de clientes corporativos que reabastecem as caixas registradoras diariamente.

Representantes de alguns bancos acham que é importante que os reguladores ofereçam recomendações sobre como manipular o dinheiro, observando que o risco de tocar notas e moedas é baixo comparado, por exemplo, com o aperto de mão, pressionar o botão do elevador ou agarrar um corrimão.

Pagamentos “higiênicos”

Se, por outro lado, autoridades adotarem medidas que desencorajem o uso de notas de dólar, isso reforçará a longa “guerra contra o dinheiro” do setor de cartões de crédito, enviando mais transações por meio de suas redes e aplicativos de pagamento que cobram taxas.

Empresas como Visa, Mastercard, American Express, PayPal Holdings e uma grande quantidade de grandes bancos emissores de cartões estariam entre os principais beneficiários.

“Os pagamentos digitais já são vistos como bons para a sociedade pelos governos porque ajudam na inclusão financeira, geram receita tributária e eliminam a corrupção”, disse Lisa Ellis, analista da consultoria independente MoffettNathanson. “Esta é outra razão: ‘É higiênico também.’”

Aproveite as oportunidades para fazer seu dinheiro render mais: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!

The post Medo de tocar notas de dólar abre nova frente em batalha digital appeared first on InfoMoney.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui