Juiz nega terceiro recurso de advogados de Ronaldinho

Pedro Mayor, juiz da Câmara de Apelações do Paraguai, negou o terceiro o recurso apresentado pela defesa de Ronaldinho Gaúcho e Assis contra a prisão preventiva, decretada há uma semana, por porte de documentos falsos.

Em entrevista coletiva concedida depois de uma audiência, o magistrado afirmou que a decisão não obriga a revisão da decisão do juiz de garantias, que negou o pedido para os irmãos brasileiros cumprirem o período em detenção domiciliar, por risco de fuga e falta de raízes em território paraguaio.

Segundo Mayor, a defesa da dupla precisa apresentar “garantias suficientes e pertinentes” para que a revisão da prisão seja possível.

O juiz de garantias Gustavo Amarilla negou o pedido da defesa dos brasileiros para que ambos pudessem ficar em prisão domiciliar em uma mansão avaliada em US$ 800 mil (R$ 3,8 mi), localizada em Lambaré, região próxima a Assunção.

Nesta sexta, Ronaldinho e Assis completam sete noites presos na Agrupación Especializada, uma das sedes da Polícia Nacional que também funciona como penitenciária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui