Escolas estaduais de SP não vão fechar por enquanto, diz secretário

As escolas públicas do Estado de São Paulo não devem fechar as portas até que autoridades de Saúde orientem para o risco de contaminação do novo coronavírus. É o que garante o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, Rossieli disse estar atento às orientações das autoridades estaduais e nacionais de Saúde. “Em um processo como esse, de pandemia, que chega cada vez mais forte no Brasil, as decisões são tomadas a cada hora. Até o momento não tem decisão de fechamento das escolas.”

De acordo com Portaria publicada pelo Ministério da Saúde, somente o secretário estadual ou o ministro da pasta — Dr. José Henrique Germann Ferreira e Luiz Henrique Mandetta, respectivamente — ou seus superiores, governador e presidente da República, podem decretar quarentena. “Nós, da Educação, não podemos e nem devemos fazer sozinhos.”

Rossieli Soares levantou a questão de que, fora das escolas e com os pais trabalhando, é provável que as crianças fiquem com os avós. Porém, os idosos contemplam o maior grupo de risco para o Covid-19. “Se essas crianças ficarem com os avós, pode aumentar o risco de contaminação apesar do nível de letalidade entre elas ser baixo.”

O secretário estadual de Educação ressaltou o fato do Estado de São Paulo ter sido o primeiro a fazer um “Dia D” de preparação sobre o coronavírus para os alunos da rede. “Tratamos o que é o corona, como precaver, a questão da higiene pessoal, tratamento. E temos trabalhado o contingenciamento.”

“Orientamos cada vez mais o processo de limpeza das escolas, compramos mais produtos. Estamos organizados para adotar as medidas que sejam necessárias. Até o momento não temos casos nem de funcionários e nem de alunos contaminados. Temos, atualmente, 38 mil professores com mais de 55 anos. Esse público merece atenção especial.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui