‘A situação está totalmente sob controle’, afirma secretário de Saúde Pública do Pará

O presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e secretário de Saúde Pública do Pará, Alberto Beltrame, afirmou em entrevista ao Jornal da Manhã nesta sexta-feira (13) que a situação para combater o novo coronavírus no Brasil está “sob controle” e não há mudança nos planos de contingência adotados pelos órgão públicos.

Segundo Beltrame, os estados brasileiros estão seguindo o plano do ministério de Saúde traçado para atender dos casos mais brandos até os mais críticos. Ele reiterou ainda que o crescimento da doença já era aguardado.

O secretário, seguindo o mesmo posicionamento do ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, e do próprio presidente da república, Jair Bolsonaro, afirmou que o clima é de tranquilidade para enfrentamento da doença. 

“Neste momento, não há mudança nenhuma nos planos de contingência, estamos trabalhando de acordo com o que foi traçado. Paralelamente, estamos nos preparando na fase de atenção à saúde para quando surgirem casos graves.”

Ainda de acordo com Beltrame, a expectativa das entidades é que 85% dos casos de coronavírus no Brasil sejam leves ou moderados, sendo tratados nas unidades básicas de saúde. Para ele, serão com os casos mais graves, que necessitam de cuidados intensivos, que o Estado deve estar preparado. 

SUS

O secretário de Saúde Pública do Pará afirmou ainda que o embora a capacidade do Sistema Único de Saúde (SUS) seja grande, ele “tem seus limites”. Segundo Beltrame, o possível surgimento de casos mais graves da doença “tenderá a sobrecarregar o sistema de saúde”. Por isso, as unidades federativas e o Ministério de Saúde já preparam novos pontos do plano de ação.

“É difícil dizer qual é o limite, pois não sabemos como ele (novo coronavírus) vai se comportar no nosso clima. Então a estratégia, se houver sobrecarga, é que tenhamos equipamentos de UTI e, partir daí, ocuparemos leitos convencionais. Onde hoje teremos, transformaremos aquela unidade em cuidados intensivos.”

Embora os órgãos de saúde esperem que o número de casos da doença aumento, Alberto Beltrame garante que o sistema de saúde brasileiro, diferente de outros países está preparado para enfrentar a doença.

“Já vivemos várias emergências em saúde pública. Enfrentamos a H1N1 que, em menos de 3 meses, atingiu 34 mil pessoas. Tivemos o zika em 2015. Toda a realidade nos ensinou muito, o SUS se fortaleceu em lidar com esse tipo de situação.”

O presidente do CONASS afirmou ainda que “parte da população não consegue perceber a importância do SUS e entender como ele é capaz de dar uma resposta satisfatória rápida.”

Brasil

O Ministério da Saúde confirmou, até a quinta-feira (12), 77 casos da doença no Brasil. Entretanto, ao todo, mais de 100 casos já foram reconhecidos por entidades de saúde em todo o país. Só o hospital Albert Einstein, em São Paulo, informou até a quinta-feira (12) 98 pacientes que testaram positivo para o Covid-19.

Segundo Alberto Beltrame, nesta sexta-feira (13) o ministério da Saúde, juntamente com os secretários estaduais de saúde, farão uma videoconferência para debater eventuais alterações nas regras nacionais para combate da doença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui