Ministério da Justiça inaugura plataforma de extração de DNA para combater crimes sexuais

O ministério da Justiça, inaugurou nesta quarta-feira (11) um centro multiusuário de investigação automatizada de vestígios sexuais. O objetivo é combater crimes sexuais ajudando os estados, que não têm essa estrutura para obter provas contras os criminosos.

Nesse primeiro momento, serão priorizadas as demandas do Acre, Alagoas, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Tocantins. Ao todo foram investidos 3 milhões de reais na estrutura que vai possibilitar a análise de mais de 5 mil amostras de vestígios sexuais por ano.

Segundo o ministro da Justiça, Sérgio Moro, uma das maneiras eficientes de combater esses crimes é exatamente punir os culpados.

“Se confunde segurança pública, muitas vezes, com policial na rua. Policial na rua também é importante, mas a segurança pública também exige que haja a redução de impunidade. Esses crimes sexuais, que vulneram principalmente as mulheres, se encontram entre as principais preocupações da população brasileira e da segurança pública como um todo.”

Atualmente, estão armazenados mais de 100 mil vestígios relacionados a agressões sexuais. Essas amostras, que são coletadas durante o exame médico legal, funcionam como uma impressão digital do criminoso.

Agora, esses dados farão parte do banco nacional de perfis genéticos e, por meio da análise desses vestígios, será possível possível esclarecer os crimes, identificar os criminosos e produzir provas técnicas que serão apresentadas à justiça.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui