USP mantém aulas e cria comitê para monitorar coronavírus

A Universidade de São Paulo (USP) anunciou nesta quarta-feira (11) a criação de um comitê para monitorar a evolução do novo coronavírus entre alunos, professores e servidores técnicos e administrativos da Universidade, em todos os campi.

A decisão foi tomada durante reunião com a reitoria, superintendência de Saúde da universidade e membros do Departamento de Geografia da instituição após um aluno do curso ter sido infectado com o Covid-19.

De acordo com a Universidade, até o momento, foi confirmado apenas um caso confirmado do vírus, no curso de Geografia, no campus de São Paulo. O aluno positivo para coronavírus “foi contaminado pela parceira que viajou à Itália e não faz parte da comunidade universitária”, informa a USP em nota.

Nesta quarta, o Ministério da Saúde informou que o Brasil tem 52 casos confirmados da doença – 30 estão concentrados no Estado de São Paulo. Outros 907 casos são investigados como suspeitos.

As pessoas que tiveram contato mais próximo com o aluno estão sendo acompanhados pela Unidade de Vigilância em Saúde do Butantã, em São Paulo, e “não apresentaram nenhum sintoma da doença até o momento”.

“A Universidade também reitera que, por ora, além do caso confirmado, não há nenhuma ocorrência suspeita que atenda aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde”, diz a nota.

As aulas, que foram suspensas apenas nesta quarta para o curso de Geografia, estão mantidas em todos os campi. “A USP manterá as atividades didáticas e administrativas em todas as suas Unidades de Ensino e Pesquisa, conforme orientação da autoridade sanitária”.

O comitê que deverá monitorar a presença do vírus na universidade contará com profissionais de saúde do Hospital Universitário (HU), representantes da Unidade de Vigilância em Saúde do Butantã e da Coordenadoria de Vigilância em Saúde e será presidido pelo superintendente de Saúde da USP e do HU, Paulo Ramos Margarido.

Segundo a USP, o órgão também ficará “responsável pela interface de comunicação com as autoridades sanitárias estaduais e federais”. Ainda nesta terça, a Universidade de Harvard informou que adotará aulas remotas para evitar a propagação do vírus. Outras instituições como Columbia, Princeton, Ohio State, Hofstra e Stanford anunciaram o cancelamento das aulas presenciais após retorno das férias devido ao Covid-19.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou, nesta quarta, o status da doença para pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui