Taxas de títulos do Tesouro Direto recuam nesta quarta-feira

SÃO PAULO – As taxas dos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, apresentam queda na manhã desta quarta-feira (11), apesar de um ambiente de maior aversão a risco no exterior.

Destaque na cena doméstica, o Ministério da Economia reduziu nesta quarta-feira (11) a projeção oficial para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2020, de 2,40% para 2,10%.

De acordo com documento divulgado pelo órgão, a economia brasileira tem mostrado sinais de continuidade do processo de recuperação do crescimento. Há, contudo, um sentimento de cautela decorrente das incertezas do ambiente internacional e as consequentes revisões de expansão dos países desenvolvidos e emergentes.

Entre os indicadores, a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 0,21%, em janeiro, para 0,25% em fevereiro, acima da expectativa de economistas consultados no consenso Bloomberg, que apontava para uma alta de 0,15%. Apesar disso, foi o menor resultado para um mês de fevereiro desde 2000, quando a inflação foi de 0,13%.

No ano, o IPCA acumula alta de 0,46% e, nos últimos 12 meses, de 4,01%, abaixo dos 4,19% observados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Pela manhã, o Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2055 pagava um prêmio de 3,76% ao ano, ante 3,83% a.a. na tarde de terça-feira (10). O investidor podia aplicar uma quantia mínima de R$ 47,95 (recebendo uma rentabilidade proporcional à aplicação) ou adquirir o título integralmente por R$ 4.795,76.

Os papéis com prazos em 2035 e 2045, por sua vez, ofereciam uma rentabilidade anual de 3,60%, ante 3,68% ao ano anteriormente.

Entre os títulos prefixados, as taxas também recuavam. O papel com vencimento em 2023 pagava 5,19% ao ano, ante 5,20% ontem, enquanto o retorno do Tesouro Prefixado 2026 cedia de 6,58% para 6,53% ao ano.

Confira, a seguir, os preços e as taxas dos títulos disponíveis no Tesouro Direto:

Fonte: Tesouro Direto

Com a volatilidade de volta aos mercados globais, as iniciativas para ajudar a minimizar o impacto do coronavírus na economia continuam. Enquanto nos Estados Unidos os investidores aguardam pelo detalhamento do plano do presidente Donald Trump para estimular a economia americana, na Europa, o Banco da Inglaterra anunciou hoje um corte emergencial de juros em 0,50 ponto percentual, para 0,25% ao ano.

Leia também:
O que fazer com os seus investimentos em dias de pânico no mercado?
Os melhores fundos de ações e multimercados de fevereiro e como estão investindo agora

Além disso, a União Europeia anunciou que usará 25 bilhões de euros para combater os efeitos da Covid-19, e que obrigou a Itália a adotar medidas radicais para evitar a propagação da doença. O número de casos do coronavírus superou 110 mil no mundo e chega a mil, nos EUA.

No Brasil, o Banco Central segue atuando no câmbio e voltou hoje a fazer leilões de contratos de swaps cambiais. Apesar do leilão de 20 mil contratos nesta manhã, a moeda americana seguia em leve alta de 0,3% por volta das 10h40, a R$ 4,6587. Já o Ibovespa, após subir 7,14% no pregão anterior, caía 2%, em meio à frustração com as medidas anti-coronavírus nos EUA.

Saia da poupança e faça seu dinheiro render mais: abra uma conta gratuita na Rico

Entenda tudo sobre Tesouro Direto neste guia completo:
Guias InfoMoney

Tesouro Direto Tesouro Direto: guia completo para investir em títulos públicos 

The post Taxas de títulos do Tesouro Direto recuam nesta quarta-feira appeared first on InfoMoney.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui