Neymar comanda classificação do PSG sobre Borussia Dortmund

Neymar foi o nome do Paris Saint-Germain na vitória por 2 a 0 sobre o Borussia Dortmund, em Paris, que classificou os franceses para as quartas de final da Liga dos Campeões. O brasileiro fez um gol, armou as principais jogadas, cavou a expulsão de um adversário e liderou o time que entrou em campo com a desvantagem de ter perdido o jogo de ida, na Alemanha, por 2 a 1. O craque vibrou e chorou com a classificação, que pôs fim ao retrospecto ruim do time nesta fase do torneio.

O primeiro tempo foi quase perfeito para o PSG. Depois de assustar a torcida francesa, ao cair e sentir muitas dores no ombro direito, logo aos seis minutos, Neymar assumiu a organização das jogadas, fazendo dupla com o argentino Di Maria. Bem marcado em sua saída de bola, o Borussia foi impedido de construir os perigosos contra-ataques, quase sempre liderados pelo norueguês Haaland.

Com o domínio do jogo, o PSG quase abriu o placar, aos 24 minutos, com Cavani. O centroavante surgiu livre, bateu forte, mas a bola desviou no pé direito do goleiro Bürki e saiu, raspando a trave direita. O primeiro gol francês não demorou. Após escanteio batido pela direita, a defesa alemã falhou grotescamente e Neymar, de peixinho na pequena área, fez 1 a 0. O atacante correu em direção ao banco de reservas e festejou muito com o amigo Mbappé, preservado por causa de uma amidalite. Na comemoração, ele não perdeu a chance de provocar o rival, e “meditou”, assim como faz Haaland ao marcar.

Em desvantagem, o Borussia foi para o ataque, mas trombou no bom sistema defensivo do PSG. Tenso, acabou perdendo a bola em seu campo. O time francês trocou passes rapidamente e Sarabia foi lançado pela direita. O cruzamento encontrou Barnat, que só desviou de Bürki: 2 a 0, aos 45 minutos.

O segundo tempo começou nervoso, com as equipes exercendo forte marcação. O jeito foi agredir nas bolas paradas. Di Maria cobrou muito bem uma falta, mas Bürki fez grande defesa, aos oito minutos. O Borussia tentou pressionar, mas faltou criatividade para o time alemão. Haaland, a joia norueguesa, sofreu forte marcação.

A situação dos alemães piorou quando Mbappé substituiu Sarabia, aos 17 minutos. A partir daí, todos os lances de ataque do PSG reuniram o talentoso jovem francês e Neymar. Os últimos minutos foram de pressão total do Borussia, enquanto o PSG apostou nos contra-ataques. O problema dos alemães foi a falta de talento para criar jogadas e a grande atuação do zagueiro brasileiro Marquinhos. Com isso, as poucas chances vieram de chutes de longe de Brandt e Emre Can.

O nervosismo tomou conta do Borussia e Emre Can acabou sendo expulso, ao fazer uma falta sobre Neymar. Os dois discutiram e o jogador do time alemão empurrou o brasileiro, o que lhe valeu o cartão vermelho. Após a classificação, assim como Neymar, os jogadores do PSG ser reuniram em um ponto do gramado para imitar a comemoração do jovem norueguês.

Portões Fechados

Por conta do coronavírus, o jogo em Paris foi realizado de portões fechados. A determinação dos órgãos de segurança e saúde franceses não adiantou muita coisa – antes do início da partida, milhares de torcedores se amontoavam no entorno do estádio para receber e apoiar o clube.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui