Coronavírus: Mandetta quer postos de saúde com horário estendido e pede mais recursos

O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, que participa de audiência da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (11) sobre as medidas de enfrentamento ao novo coronavírus informou que a pasta deseja disponibilizar mais de 6 mil postos de saúde com horário estendido para atender a população.

Para viabilizar a medida, no entanto, é necessário que mais recursos sejam destinados ao combate do Covid-19 – tanto o ministro quanto os parlamentares que participam da audiência defendem ampliar os repasses para a pasta.

“Temos 40 milhões de brasileiros onde as espirais [de contaminação] podem ser maiores. A gente quer aumentar de 1,5 mil para 6,7 mil postos de saúde com horário estendido. Este é um dos motivos pelos quais estou pedindo recurso, pois para fazer isso tenho impacto de quase R$ 1 bi”, pontuou Mandetta.

O ministro ainda destacou o aumento no custo dos insumos utilizados para prevenção e tratamento do coronavírus. Segundo ele, o preço das máscaras de proteção chegou a subir mais de 1.800%.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que participa da audiência, garantiu que a Casa “está à disposição” para adoção de medidas e que pretende atuar viabilizando alocação de recursos para municípios e Estados.

Sobrecarga no SUS

De acordo com Mandetta, apesar da baixa letalidade do vírus, o Covid-19 pode sobrecarregar o Sistema Único de Saúde (SUS). “O vírus é extremamente duro; ele derruba é o sistema de saúde. Se ele não tem uma letalidade individual elevada, ele tem uma letalidade ao sistema de saúde”, disse.

Ainda nesta quarta, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia de coronavírus e destacou também que o número de casos registrados, mortes e países afetados deve aumentar nas próximas semanas.

O ministro defendeu ainda que a população mantenha a higiene das mãos em dia, a etiqueta respiratória ao tossir e espirrar, e cuidado no contato com idosos, parcela da população mais suscetível ao vírus, evitando visitas à asilos e pessoas com mais idade.

*Com informações da Agência Brasil e Câmara Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui