Coronavírus: Itália fecha comércio e serviços, mas mantém supermercados e farmácias abertos

O governo da Itália aprovou nesta quarta-feira (11) um “bloqueio total” do país por conta do surto de coronavírus, com o fechamento de todas os estabelecimentos comerciais e serviços, menos os que oferecem produtos de primeira necessidade, como supermercados e farmácias, durante ao menos duas semanas

“A Itália será sempre uma área única, uma área protegida. Estamos nos preparando para fechar todas as atividades comerciais, vendas no varejo, exceto produtos de necessidade básica e farmácias”, disse o primeiro-ministro Giuseppe Conte em entrevista coletiva.

“Não é necessário correr ao supermercado para fazer compras”, acrescentou Conte, além de ressaltar que “se todos respeitarem essas regras”, a Itália sairá antes da situação de emergência provocada pelo coronavírus transmissor da Covid-19, doença que já causou 827 mortes e mais de 12 mil infecções no país.

Conte salientou que os bares e restaurantes permanecerão fechados, embora seja permitida a entrega de comida a domicílio, assim como os cabeleireiros e os centros de estética. Eles serão adicionados aos já fechados nos últimos dias, como cinemas, teatros e museus, bem como escolas e universidades.

Contudo, serão garantidos serviços essenciais como os bancários, postais e de seguros, bem como os transportes públicos e a atividade agrícola.

“Para ter uma resposta positiva a estas medidas, temos de esperar algumas semanas”, disse o premiê, que comentou que esse é mais um passo necessário para frear a propagação do vírus SARS-CoV-2.

Ele observou que todas as decisões tomadas pelo Executivo até agora tiveram como objetivo prioritário garantir a saúde da população e afirmou ser necessário implementar ações graduais para que todos entendam o momento difícil pelo qual o país está passando.

“A Itália está demonstrando ser uma grande comunidade, unida e responsável. Neste momento, todos estão olhando para nós, em primeiro lugar devido ao número de infecções, mas também porque estamos tomando medidas rigorosas. Amanhã eles não só nos olharão, mas nos admirarão e nos tomarão como exemplo de um país que, com responsabilidade, conseguiu superar esta pandemia”, finalizou.

O coronavírus na Itália já deixou 827 mortos e o número total de infecções é de 12.462, incluindo os curados, os doentes atuais e os que morreram, de acordo com os dados da Defesa Civil.

O governo italiano decidiu na segunda-feira (9) decretar restrições à circulação em todo o país, proibindo temporariamente a realização de eventos públicos e competições esportivas, fechando escolas e universidades, cinemas, museus e teatros.

*Com EFE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui