Coronavírus: Japão proibirá entrada de turistas do norte da Itália

O governo do Japão anunciou nesta terça-feira (10) que impedirá a entrada no país de turistas de várias regiões da Itália, devido ao surto do novo coronavírus e disse estar considerando usar medidas semelhantes para outros países onde as infecções estão aumentando rapidamente.

O primeiro-ministro Shinzo Abe decidiu sobre as novas restrições da entrada de pessoas no território japonês durante uma reunião realizada nesta terça com seu gabinete para analisar a epidemia da Covid-19.

A partir desta quarta, o Japão negará o acesso a turistas de cinco regiões do centro e norte da Itália e San Marino (e daqueles que estiveram lá nas duas semanas anteriores), disse Abe.

O premier explicou que a medida se deve ao “rápido aumento das contágios na Itália” e ao isolamento dessas regiões decretado pelo governo italiano e acrescentou que restrições semelhantes são contempladas “em outros países onde o número de infecções está crescendo rapidamente”, sem maiores esclarecimentos.

A medida se soma a outras restrições ou proibições de acesso que o Japão já aplica a turistas da Coreia do Sul, China e Irã, países com maior números de casos da Covid-19 juntamente com a Itália.

O governo japonês também decidiu nesta terça manter até o final do mês o cancelamento de todos os eventos culturais e esportivos que envolvem participação considerável do público, além de outros eventos de massa.

A prorrogação desses cancelamentos durará “cerca de dez dias” e até o próximo dia 19, quando o governo realizará uma reunião com especialistas médicos para decidir se a recomendação será ou não mantida, disse Abe.

Até agora, as autoridades japonesas relataram um total de 1.230 infecções por coronavírus, a maioria delas (696) no cruzeiro Diamond Princess, além de 17 mortes pela Covid-19 (sete delas em passageiros do navio).

Ainda nesta terça, o governo adotou um pacote econômico adicional no valor de 1 trilhão de ienes (cerca de R$ 45,6 bilhões), destinado a apoiar empresas e trabalhadores independentes que viram sua renda cair por conta do coronavírus.

*Com informações da EFE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui